Pratique Taekwon-Do em Louveira-SP

por Eduardo Godoi

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do é uma arte marcial coreana criada pelo General Choi Hong Hi e apresentada ao mundo com este nome no dia 11 de abril de 1955. As suas técnicas foram desenvolvidas a partir do Karatê japonês, incorporando também algumas contribuições do Taek Kyon e do Soo Bak Gi, que são antigas artes marciais coreanas, de táticas militares e de elementos marciais de origem chinesa.

Taekwon-Do, Arte e Vida

As palavras que compõem o nome desta luta podem ser assim traduzidas:

Tae = ação dos pés

Kwon = ação das mãos

Do = arte ou caminho

A International Taekwon-Do Federation (ITF) foi fundada em 22 de março de 1966, sendo presidida pelo General Choi Hong Hi até o seu falecimento, em 15 de junho de 2002. Somente em 1973 é que foi criada a World Taekwon-Do Federation (WTF).

Muito mais do que uma arte-marcial, o Taekwon-Do é uma atividade em que o corpo e a mente interagem de forma harmônica, proporcionando ao praticante uma sensação de bem-estar inigualável e contribuindo para um aumento constante de sua qualidade de vida. Seguindo os princípios do Taekwon-Do (cortesia, integridade, perseverança, autocontrole e espírito indomável), todo praticante desenvolve uma grande autoconfiança que o ajuda a enfrentar, de modo sereno, os seus desafios cotidianos.

HORÁRIOS DAS AULAS

  • segunda-feira: 17h até 18h | 18h até 19h | 19h até 20h
  • terça-feira: 8h até 9h | 16h até 17h | 17h até 18h | 18h até 19h | 19h até 20h
  • quarta-feira: 17h até 18h | 18h até 19h | 19h até 20h
  • quinta-feira: 8h até 9h | 16h até 17h | 17h até 18h | 18h até 19h | 19h até 20h
  • sexta-feira: 17h até 18h | 18h até 19h
  • sábado: 8h até 9h | 9h até 10h

Sabum Nim Eduardo Godoi (4o. Dan)

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do Brasil
Rua Armando Steck, 408 – sala 3 – Centro – Louveira – SP – CEP 13.290-000
Anúncios

Esqueceram de mim I, II, III e IV

por Eduardo Godoi

Prezados Leitores

Convido-os a uma breve reflexão sobre o papel de alguns personagens fundamentais para o bom andamento das competições de Luta Livre pertinentes ao Taekwon-Do ITF. Estudando o Referee and Umpire Training Manual, de autoria do Sabum Nim Kurt Ottesen (6o. Dan ITF e membro do ITF Tournament and Umpire Committee), aprendemos que todo ring é administrado por um Conselho de Ring (Ring Council) composto, idealmente, por:

  • um Presidente para comandar todas as ações dos membros do Conselho de Ring;
  • dois Árbitros para auxiliar o Presidente (cronometragem, verificação das credenciais dos atletas, registro de advertências e faltas etc.);
  • um Árbitro Central para conduzir as lutas, principalmente do ponto de vista disciplinar;
  • quatro Árbitros Laterais  para atribuir pontos aos competidores.

Ao longo de nossos “bate-papos extemporâneos”,  tenciono apresentar aos Leitores, com uma profundidade maior, as várias funções desempenhadas num Conselho de Ring e os protocolos de ação correspondentes. Neste artigo, vamos endereçar a nossa atenção para os quatro cantos de um ring, onde encontraremos – solitários – uns pares de olhos que marcam…

Desde 2002, quando fui graduado Faixa Preta 1o. Dan, venho constantemente atuando como Árbitro nos torneios de Taekwon-Do ITF no Brasil. Durante muitos anos, como sucede a todo Árbitro iniciante, trabalhei exclusivamente como Árbitro Lateral, contabilizando os pontos conquistados pelos Atletas e as punições por eles recebidas, atribuindo um vencedor a cada disputa. Aprendi muito neste período, observando atentamente – a partir um ângulo favorável – uma postura bastante diversificada entre os vários colegas de arbitragem.

No entanto, o que me impressiona ainda é o abandono do Árbitro Lateral durante as competições. Distante de outros colegas de arbitragem, sem autorização para levantar-se – nem mesmo durante os intervalos de uma contenda ou durante os intervalos entre lutas consecutivas – o Árbitro Lateral sofre um grande desconforto ao longo de uma jornada, tendo prejudicada, certamente, a qualidade de seu trabalho: o corpo dolorido por permanecer um longo período sentado , fome, sede e algum “aperto” minam continuamente os ânimos de um colaborador essencial para  o sucesso de um torneio. E mais uma solidão… Durante um longo período ninguém dirige palavra ao Árbitro Lateral, que somente é chamado às falas quando eventualmente é questionado (muitas vezes de modo irregular, mas este é um assunto para outro artigo) sobre a qualidade de seu julgamento.

Foi no VIII Campeonato Panamericano de Taekwon-Do ITF, realizado em Florianópolis em 2008 que tive a minha primeira oportunidade de atuar como Árbitro Central e, desde então, procuro sempre dar a maior atenção possível ao meu “time”, cuidando das suas necessidades. Além de cumprir a orientação do ITF Tournament and Umpire Committee, solicitando de tempos em tempos aos Árbitros Laterais que troquem de lugar – o que já lhes promove uma saudável movimentação durante o serviço – verifico, durante os intervalos entre as disputas, se os membros da minha equipe precisam de água, se precisam ir ao banheiro etc. Também converso com eles sobre o nosso desempenho, pergunto se o  meu posicionamento no ring não lhes está eclipsando os Atletas  e convido-os a ter uma participação mais ativa na árbitragem, sinalizando para mim qualquer irregularidade que percebam durante o andamento de uma luta.

É muito importante os Presidentes dos Conselhos de Ring e os Árbitros Centrais aproximarem-se mais de seus colaboradores, tratando-os realmente como integrantes de um time vencedor. Acredito fortemente que, se desenvolvermos um “espírito de equipe” no Conselho de Ring, a motivação de todos será muito maior e a qualidade da arbitragem irá aumentar significativamente.

Bons dias !!!

Boosabum Eduardo Godoi (3o. Dan)

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do Brasil
Academia Shaolin – Louveira – SP
Rua Armando Steck, 294 – sala 2 – Centro

À sombra de cronistas imortais

por Eduardo Godoi

Prezados Leitores

Nestas primeiras linhas, destaco a felicidade que me acompanha desde o convite feito pelo Boosabum Giovani Godoi (2o. Dan ITF) para ombrear, no espaço de seu blog (www.taekwondoparatodos.com.br/blog), a um time já repleto de craques. É certo que faço parte da retaguarda: beque central de outro tempo, que mata o poema na porta do gol e pouco avança. Ah, se eu fosse um Newton Santos, eu dava até safanão com elegância…

No Brasil, em meio a uma vária oferta de programas esportivos para rádio e televisão em que a baixa qualidade jornalística é sensível, nota-se a presença, na imprensa escrita, de grandes mestres da literatura fazendo-nos sonhar cotidianamente através da crônica esportiva. Segundo Túlio Velho Barreto – Cientista Político e Pesquisador da Fundação Joaquim Nabuco

“Sem dúvida, os maiores craques da crônica esportiva brasileira foram José Lins do Rego e os irmãos Mario Filho e Nelson Rodrigues. Se não fossem da mesma geração poderiam ser comparados a Friedenreich, Leônidas e Pelé ou Domingos, Zizinho e Garrincha. Mas, contemporâneos, podem ser comparados ao meio-de-campo formado por Clodoaldo, Gérson e Rivellino. Infelizmente, os três não tiveram sucessores à altura, apesar da qualidade de João Saldanha, Armando Nogueira e Luis Fernando Veríssimo, por exemplo, e da profusão de craques que se sucedem dentro das quatro linhas.”

(http://ueba.com.br/forum/index.php?showtopic=24241)

Para os mais jovens, Mestre Armando Nogueira é o grande modelo cuja arte diluimos, inevitavelmente, ao tentarmos imitá-lo:  como é difícil para nós a expressão exata e agradável em poucas palavras !!! Fôssemos Nogueira, um parágrafo nos bastaria para narrar a epopéia de uma luta. Ou, como ele mesmo disse sobre habilidade de Garrincha para driblar:

“Para Mané Garrincha, o espaço de um pequeno guardanapo era um enorme latifúndio.”

(http://jc.uol.com.br/canal/esportes/noticia/2010/03/29/frases-marcantes-de-armando-nogueira-217915.php)

Postas as minhas limitações como cronista que se encolhe à sombra de gigantes, tenciono fazer umas digressões sobre a arbitragem dentro das competições do Taekwon-Do ITF, tema que promove discensos e gera também debates acalorados. Já com alguma experiência como Árbitro e com bastante estudo sobre o assunto, quero contribuir um pouquinho com os meus artigos para que todos – Árbitros, Competidores, Técnicos, Professores e Torcida – possamos construir uma cultura de arbitragem mais saudável, mais profissional e mais justa. Espero elevar o tema, sem maniqueísmos ou simplificações, a um patamar de destaque, arrostando também as questões polêmicas, conquistando corações e mentes. Como será fácil perceber em meus textos, apaixonam-me os torneios em seus vários aspectos: a arbitragem arrebata-me.

Bons dias !!!

Sabum Nim Eduardo Godoi (4o. Dan)

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do Brasil
Rua Armando Steck, 408 – sala 3 – Centro – Louveira – SP – CEP 13.290-000

P.S.: Para todos os amantes do esporte e da literatura, recomendo fortemente o livro “À sombra das chuteiras imortais”. Leia, a seguir, a sinopse da obra que encontrei no web site da Livraria Cultura

À sombra das chuteiras imortais, a primeira coletânea das crônicas esportivas de Nelson Rodrigues, reúne setenta textos que Nelson publicou na extinta revista Manchete Esportiva e em O Globo entre os anos de 1955 e 1970. Elas cobrem o período mais rico e fascinante do futebol brasileiro – aquele que vai da derrota do Brasil para o Uruguai, na final da Copa de 50, em pleno Maracanã, à conquista definitiva do tricampeonato no México, em 1970, passando pelas emoções que transformaram a idéia que o brasileiro fazia de si mesmo.” (www.livrariacultura.com.br)

Cerimony: uma versão da Radiohead para o clássico da Joy Division

por Eduardo Godoi

Prezados Leitores

Lembro de um Machado de Assis, do segundo capítulo de Dom Casmurro:

“O meu fim evidente era atar as duas pontas da vida, e restaurar na velhice a adolescência. Pois, senhor, não consegui recompor o que foi nem o que fui. Em tudo, se o rosto é igual, a fisionomia é diferente.”

Das bandas de rock que estão na ativa, gosto muito da Radiohead e, como fã, adoro toda a sua discografia (seguindo uma banda, a audição crítica semelha à heresia). Recentemente, encontrei, no Youtube, uma versão cover que a Radiohead gravou de um dos maiores clássicos dos anos 80: a belíssima canção Cerimony, gravada originalmente pela Joy Division. No Youtube, a música está errôneamente creditada à banda New Order, herdeira da Joy Division após a morte do seu vocalisa, Ian Curtis.

Recomendo fortemente a todos os saudosos do final dos anos setenta e início dos anos oitenta. Divirtam-se.

Bons dias !!!

Boosabum Eduardo Godoi (3o. Dan)

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do Brasil
Academia Shaolin – Louveira – SP
Rua Armando Steck, 294 – sala 2 – Centro

De como este blog não será muito lido…

por Eduardo Godoi

Prezados Leitores

Eu prefiro, desde há muito, a palavra escrita à palavra dita. Subtrai-me toda a força um telefonema e custa-me um tempo indevido. Assim, fujo ao máximo da voz e, agora, da imagem online, simulacros de uma presença: uma “não presença”. Lamento, também, pela minha caligrafia, cada vez mais abandonada por uma Times New Roman ou por uma Arial onipresente. Inúmeras as cartas que já enviei, poucas as que recebi:  chamadas no celular estranhavam um carteiro deixando “fardos” às suas portas… Em suma, gosto muito da materialidade do texto, tinta-papel-caligrafia-entrelinhas, um jeito certo de dobrar o papel, o selo. Eu prefiro a palavra escrita contando os meus dias.

Como este blog apresentará, em princípio, poucas fotografias ou filmes para os não leitores, creio que não cativarei um público significativo para além de algumas linhas acidentalmente consultadas. Gato por lebre.

Chego a imaginar que poderei expressar até opiniões mais duras ou politicamente incorretas sem os riscos inerentes: possivelmente, um terceiro parágrafo meu jamais será lido.

Como Narciso, contento-me em “acessar” um pouco de mim refletido na tela de um notebook.

Bons dias !!!

Boosabum Eduardo Godoi (3o. Dan)

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do Brasil
Academia Shaolin – Louveira – SP
Rua Armando Steck, 294 – sala 2 – Centro

David Kerr & Canastra Trio

por Eduardo Godoi

Prezados Leitores

Às vésperas de mais uma Copa do Mundo de Futebol (África do Sul 2010), necessariamente, lembranças de outras “justas” me vêm à mente e – certamente marco maior – a “Tragédia do Sarriá” (Espanha 1982). Numa época em que não exisitam i-pod´s & cia., ganhar um radinho (AM) à pilha era o sonho de todo garoto. Mimo paterno, o meu tinha um painel para a sintonia das estações cujo desenho nos lembrava uma conquista maior: a taça Jules Rimet. E, com este radinho, comecei a descobrir como “o ganzá do jazz-band batuca” (Manuel Bandeira – “Não sei dançar” – Libertinagem”).

Jazz, blues, big-bands, Ella, Billie, o velho “blue eyes”… Enquanto os meus colegas de ginásio se dividiam entre punks e metaleiros, eu me distanciava deles num ritmo forte. Somente os reencontrei, aos quatorze anos, ouvindo eu também uns “rock´s de Brasília”.

Por não conhecer o meio musical, sendo apenas um ouvinte caseiro, ignoro o quanto os jovens de hoje se interessam em tocar o jazz. Preconceito meu, tendo a acreditar que um tal sabor não apetece os novos paladares. Surpreendeu-me, portanto, quando conheci a outra face de um lutador, o grande Sabum Nim David Kerr (4o. Dan ITF), maior campeão da história do Taekw0n-Do (quatro títulos mundiais !!!).

Amante de Frank Sinatra, executa, ao trompete, rounds perfeitos com punch e, ao mesmo tempo, sensibilidade. Sua voz trabalha os standards de um modo preciso e sedutor. Nos momentos mais intimistas, lembra-me um Chet Baker cantando “You don´t know what love is“. Como não sou bom conhecedor de música, cesso meus comentários. Prezados Leitores, saboreiem David Kerr & Canastra Trio, ouvindo-o através do web site:

http://www.myspace.com/davidkerrcanastratrio

Bons dias !!!

Sabum Nim Eduardo Godoi (4o. Dan)

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do Brasil
Rua Armando Steck, 408 – sala 3 – Centro – Louveira – SP – CEP 13.290-000