Quem pode arbitrar ?

por Eduardo Godoi

Prezados Leitores

Nestes dias, uma questão vem burilando na caixola umas idéias – que há muito as trago comigo – sobre as relações entre uma arte marcial e um seu desporto derivado: preservando o seu anonimato, um nosso Leitor surpreendeu-me ao perguntar se era possível um não praticante de Taekwon-Do atuar como Árbitro nas competições realizadas sob a égide da ITF e, em caso afirmativo, quais seriam os cursos voltados para a formação de Árbitros. No texto presente, o limite será a indicação de quais são os requisitos para se arbitrar uma competição internacional do Taekwon-Do ITF, prometendo já, para breve, a apresentação de umas opiniões mais acabadas sobre o assunto.

O Comite de Competição e Arbitragem (ITF Tournament and Umpire Committee) é a instância máxima, no âmbito da International Taekwon-Do Federation, para deliberar sobre a organização de torneios e sobre as regras de competição. No entanto, a sua missão está voltada, principalmente, para a obtenção de um sucesso cada vez maior em eventos como o Campeonato Mundial de Taekwon-Do ITF (disputa restrita aos selecionados nacionais) e a Copa do Mundo de Taekwon-Do ITF (disputa franqueada a um número ilimitado de atletas por país). Para tanto, ocupa-se também da formação de Árbitros Internacionais.

Segundo o item U17 de ITF Umpire Rules & Regulations, existem Árbitros Internacionais do tipo “Classe B” e do tipo “Classe A”.

ÁRBITRO “CLASSE B”

Para se tornar um Árbitro “Classe B” é necessário:

  • possuir, ao menos 21 anos de idade;
  • ser um Faixa-Preta graduado com o 2o. ou com o 3o. Dan;
  • participar de um curso de arbitragem oficial da ITF (Umpire and Officials Training Course, ministrado pelo ITF Tournament and Umpire Committee) e, sendo aprovado no curso, obter o certificado de Árbitro “Classe B”;
  • participar regularmente de torneios sob a jurisdição da ITF.

ÁRBITRO “CLASSE A”

Para se tornar um Árbitro “Classe A” é necessário:

  • possuir, ao menos 25 anos de idade;
  • ser um Faixa-Preta graduado, pelo menos, com o 4o. Dan;
  • possuir o certificado do Curso de Instrutores Internacionais;
  • já possuir o certificado de Árbitro “Classe B”;
  • possuir, ao menos, três anos de experiência de arbitragem em torneios nacionais;
  • participar de um curso de arbitragem oficial da ITF (Umpire and Officials Training Course, ministrado pelo ITF Tournament and Umpire Committee) e, sendo aprovado no curso, obter o certificado de Árbitro “Classe A”;
  • participar regularmente de torneios sob a jurisdição da ITF.

Como podemos observar, há uma grande preocupação com a formação dos Árbitros Internacionais e os membros do Comitê de Competição e Arbitragem estão sempre atentos à necessidade de melhora contínua na qualidade técnica de seus colaboradores. Particularmente, a participação no curso de arbitragem foi uma experiência fascinante e abriu um horizonte completamente novo para o Taekwon-Do em minha vida.

E como se dá a formação de Árbitros para atuar em competições no Brasil ? Seria possível um não praticante de Taekwon-Do arbitrar uma competição de luta, por exemplo ?

Prezados Leitores, em nossos próximos encontros, voltaremos a abordar estes assuntos que, embora aparentemente simples, envolvem os conceitos de arte marcial e de desporto e também a própria estrutura da ITF no Brasil.

Bons dias !!!

Boosabum Eduardo Godoi (3o. Dan)

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do Brasil
Academia Shaolin – Louveira – SP
Rua Armando Steck, 294 – sala 2 – Centro

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: