Sobre a Psicologia do Esporte

por       Daniel Bartholomeu

José Maria Montiel

Flávio Spigato

A psicologia do esporte investiga como disciplina científica, as causas e os efeitos dos processos psíquicos que acontecem com o ser humano, antes, durante e depois de uma atividade esportiva. Este conceito remete a questões como a personalidade do praticante, sua ansiedade, sua motivação, suas atitudes, num conjunto de atividades que abrangem desde o lazer até o esporte de rendimento.

O trabalho do psicólogo do esporte orienta-se, pois, para o alcance de um melhor desempenho no esporte, sendo em vários aspectos, semelhante às demais atividades da psicologia que lidam com a questão do trabalho, não perdendo de vista, todavia, a característica fundamental de qualquer disciplina da área de saúde que tem o foco na qualidade de vida das pessoas nos diversos aspectos de sua vida. Esse profissional busca valorizar ao máximo o potencial do atleta, ao mesmo tempo em que tenta minimizar ou neutralizar suas deficiências. Atua no sentido de melhorar o desempenho e a relação entre atletas, técnicos e dirigentes. A ação psicoterapêutica é indispensável na preparação do atleta, pois, as reações emocionais dos atletas e a persistência de certos comportamentos inadequados afetam sobremaneira o rendimento dos atletas. Portanto se trata de intervir no sentido de possibilitar o crescimento pessoal do atleta, o que por sua vez refletirá em aumento de probabilidades de êxito esportivo. Isso não quer dizer que o psicólogo do esporte deva se converter em clínico e sim em um crítico dentro desse contexto esportivo. Em casos complexos os atletas deverão ser encaminhados para tratamento psicoterápico.

Considerando que o projeto visa, não somente a preparação física ou de atleta do jiu-jitsu, mas a melhora da qualidade de vida das pessoas acredita-se ser imprescindível o auxílio psicológico no sentido de favorecer um maior entendimento de seus sentimentos que podem interferir na prática do esporte, e auxiliar na motivação para o mesmo, considerando a arte marcial como uma forma de melhorar a auto-estima e o auto-controle pessoal.

Dentro deste contexto, fica claro para os atletas que apenas o esporte não basta para seu desenvolvimento e crescimento como cidadão. Por isso os mesmos são constantemente incentivados e auxiliados em questões que dizem respeito aos estudos e ao trabalho.

Para isso o profissional utiliza-se de métodos que buscam num primeiro momento avaliar e treinar um conjunto de comportamentos emitidos pelos indivíduos num contexto interpessoal com a intenção de melhorar sua competência interpessoal e individual nas situações sociais. Aumentando assim a probabilidade do indivíduo se desenvolver pessoal e socialmente de maneira mais adequada o que acarretará numa melhor qualidade de vida, pois, aprenderá a expressar seu desejos, sentimentos, opiniões e direitos, respeitando esse comportamento nos demais e que geralmente resolve problemas não só imediatos, mas também minimiza a probabilidade de futuros problemas.

Já num segundo momento o profissional se utilizará da análise das bases e efeitos das ações esportivas, considerando por um lado a análise de processos psíquicos básicos (cognição, motivação, emoção) e, por outro lado, a realização de tarefas práticas do diagnóstico e da intervenção esportiva.

O livro Manual de Treinamento Psicológico para o Esporte aborda o problema da lesão grave e a reação do atleta frente a este quadro apresentando uma técnica específica para o Programa de Reabilitação.


Manual de Treinamento Psicológico para o Esporte

BECKER JUNIOR, B.; SAMULSKI, D. Manual do Treinamento Psicológico para o Esporte. Feevale, 1999 

A obra é a primeira a ser publicada na América Latina.Contém vinte e duas (22) técnicas específicas (somáticas e cognitivas) para o treinamento psicológico do desportista, seja ele de qualquer nível de competitividade, oportunizando o crescimento do seu potencial psicofísico. Os autores, Doutores em Psicologia, foram atletas profissionais de Futebol e Handebol. Com uma linguagem simples, abordam a prática sem descuidar do embasamento teórico, proporcionando um amplo conhecimento, ao treinador, preparador físico, psicólogo, fisioterapeuta e demais membros da Comissão Técnica de clubes e seleções, sobre a metodologia do treinamento psicológico.


Manual de Psicologia do Esporte & Exercício

BECKER JUNIOR, B. Manual de Psicologia do Esporte e do Exercício, Feevale, 1999

Tarefas da Psicologia do Esporte e do psicólogo. Princípios éticos. Formação necessária. Exercício & área emocional: ansiedade, depressão, agressividade e autoconceito, em populações normais e com portadores de psicopatologias diversas. Estresse psíquico no esporte. Criança no esporte, pais e treinadores. O treinador e qualidades necessárias ao sucesso. Grupo esportivo, etapas evolutivas e treinamento para a coesão. O árbitro. Os espectadores. Agressão e violência. Doping. Comportamento supersticioso. Psicologia & lesões. Final de carreira do atleta profissional. Aids no esporte. Treinamento psicológico

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: