Miles a(radio)head

por Eduardo Godoi

Prezados Leitores

Em 2010 são completos 40 anos do lançamento de “BITCHES BREW”, álbum que inspirou muitas inovações na música popular em todo o mundo, tornando-se um emblema do jazz-rock fusion. Certamente, muitas conquistas desta avant garde ainda ecoam em nossos ouvidos, mesmo através de uns arranjos inocentes da herança que carregam.

Capa do álbum Bitches Brew, de Miles Davis, lançado em 1970

A partir de 1968, Miles Davis participa do desenvolvimento do jazz-rock fusion: as influências de Jimi Hendrix, James Brown e Sly Stone, o movimento Black Power e todo um clima de ebulição política contribuiram para “amplificar” a participação de instrumentos elétricos em suas obras, culminando com o lançamento do álbum duplo BITCHES BREW” em 1970. Este que foi o seu maior sucesso de vendas em toda a carreira levou – pela primeira vez na história – um jazz man para a capa da conceituada revista de rock Rolling Stone (www.rollingstone.com). Portanto, não surpreendem a sua inclusão póstuma no Rock & Roll Hall of Fame, em 13 de março 2006 e esta sua afirmação: “Prince poderia muito bem ser o Duke Ellington do rock”.

Capa do álbum Doo Bop, gravado em 1991 e lançado, postumamente, em 1992

No artigo “Sobre fotos e música”, já publicado neste blog, apresento umas opiniões sobre o imaginário envolvendo o rock e o jazz reificado através de seus fotógrafos. Retomo, em parte, o assunto, abordando esta personagem que buscou intersecções possíveis entre ambos os gêneros musicais e que procurou – também em suas poses – mostrar uma “atitude” pouco comum nos retratos dos jazz men.

Em 1957, lançou o álbum intitulado “MILES AHEAD”, obra-prima consequente de sua parceria com Gil Evans. Em outros dois momentos, trocadilhos com o seu nome também nomearam com sucesso discos seus: em 1958 temos o lançamento de “MILESTONES” e, em 1966, “MILES SMILES”.

Capa original do álbum Miles Ahead, de Miles Davis, lançado em 1957

Uma pesquisa ligeira na Wikipedia (www.wikipedia.com) já nos informa sobre o descontentamento de Miles Davis com a capa original deste álbum e um modo como questionou George Avakian, então executivo da gravadora Columbia:  “Why’d you put that white bitch on there?”. Posteriormente, a arte original da capa foi substituida por uma foto do músico.

 

 

Nova capa do álbum Miles Ahead, após a reclamação do músico

 

De Miles a Radiohead

Para mim a banda de rock atual mais interessante é a Radiohead. E, após o estrondoso sucesso de “OK COMPUTER” (1997), considerado por muitos o álbum de rock mais importante do final do século XX, ela também surpreendeu, para gostos e desgostos, a crítica e os seus próprios fãs com o lançamento da obra “KID A” (2000). Considero-a, pela surpresa e repercussão, o “BITCHES BREW” da Radiohead.

Embora os meus comentários soem um tanto heréticos, basta eu ouvir a faixa “The National Anthem” para eu imediatamente pensar em Miles Davis, em jazz-rock fusion e, na parte final da música, lembrar também de um Charles Mingus da composição “Better git it in your soul”.

Convido-os a apreciar esta bela canção da Radiohead, através do video abaixo:

Também vale à pena conferir o Charles Mingus citado acima:

Bons dias !!!

Boosabum Eduardo Godoi (3o. Dan)

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do Brasil
Academia Shaolin – Louveira – SP
Rua Armando Steck, 294 – sala 2 – Centro

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: