Desenvolvimento cognitivo e aspectos nutricionais

 

por                      André Luiz Lanza

Daniel Bartholomeu

José Maria Montiel

Afonso  Machado

São vários os estudos que ligam a má nutrição ao desenvolvimento de doenças mentais.

Segundo a Dra. Milagros Marot Casañas (Doutora em Psiquiatria do Hospital Hermanos Amerjeira, em CUBA), em estudo de revisão foram reunidas várias pesquisas sobre nutrição cerebral e função cognitiva.

Em seu estudo ela afirma que as doenças mentais como esquizofrenia, depressão, Alzheimer estão totalmente ligadas à deficiência de aminoácidos, lipídios, carboidratos, vitaminas e minerais, pois a plenitude do funcionamento cerebral necessita de nutrientes que são obtidos a partir de alimentos da dieta.

Porém, há certa precariedade em estudos que comprovem melhoria no desempenho cognitivo na inteligência, em indivíduos saudáveis que seguem uma dieta equilibrada.

Porém sabe-se que, assim como outros tecidos do organismo, o cérebro necessita de oxigênio e nutrientes para suprir seu metabolismo.

Uma dieta adequada em nutrientes pode desempenhar um papel importante na função cognitiva mantendo a estrutura cerebral e o bom funcionamento dos neurônios

A glicose é a principal fonte de energia para o cérebro. Os carboidratos, grandes fornecedores de glicose são absorvidos rapidamente, devendo dar preferência aos complexos como pão, batata e grãos, pois fornecem energia de forma mais regular do que os carboidratos simples, como o açúcar dos doces, que não fornecem energia de forma constante e acabam sendo transformados em gordura.

Os ácidos graxos poliinsaturados em específico ômega-3 e ômega-6  desempenham importantes funções no desenvolvimento e funcionamento do cérebro desde o período gestacional até o envelhecimento

São conhecidos por promoverem maior fluidez e plasticidade cerebral e denominados essenciais por não serem sintetizados pelo organismo, daí a importância de peixes como salmão, atum, sardinha, castanhas, semente de linhaça, entre outros, poderosas fontes destes nutrientes no cardápio do indivíduo

As frutas, legumes e verduras possuem as vitaminas A, C e E e betacaroteno e selênio, antioxidantes que protegem dos radicais livres.

Estes são produzidos com a energia gerada no cérebro. Além disso são importantes na composição de uma dieta saudável, pois têm baixa densidade energética, isto é, poucas calorias em relação ao volume do alimento consumido, favorecendo a manutenção saudável do peso corporal.

Folhas verde-escuras como brócolis, repolho, couve e espinafre são exemplos de alimentos antioxidantes. Frutas como maçã, morango, ameixa, banana e as ricas em vitamina C como a laranja, kiwi, abacaxi, tangerina e acerola também são poderosos anti-radicais livres assim como beta-caroteno, presente na cenoura, tomate, abóbora, entre outros alimentos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: