Regência musical

por Igor Santos

Maestro ou regente é aquele que rege uma orquestra ou um coro. Normalmente um maestro vem dotado de grandes conhecimentos da musica em geral.

Maestro Herbert Von karajan. Famoso por reger varias das mais importantes orquestras mundiais.

No Barroco e no período clássico, o maestro não era materializado. Os grupos pequenos se entreolhavam para determinar o momento de dinâmica, entradas e finais ou voltavam sua atenção ao músico mais visível como o violinista. Como ocorre em quintetos na atualidade.  Em evolução deste estado inicial foi inserido uma marcação de tempo (métrica musical) através de batidas no chão com um cajado ou bastão, o que de fato atrapalhava muito a questão da sonoridade ao publico. A partir disto os músicos optaram a marcar o tempo com gestos da mão de maneira visual.

A regência de fato é o ato de conduzir um grupo musical, exercido pelo maestro. É uma atividade onde se pode coordenar e liderar as atividades musicais onde o músico aprenda a apresentar a concordância e a coerência que o maestro deseja a partir da interpretação da partitura, o que varia muito entre os regentes. A interpretação de uma obra exige muito tempo de analise musical, harmonia, contrapontos. De modo geral o regente deve ter em sua mente um conhecimento que se expande desde o coral até a diversidade da orquestra, ele necessita ter uma visão particular, mas principalmente uma visão geral sobre a obra. Estudar a fundo o autor da composição, o momento em que estava vivendo, o que ele desejava passar em sua obra. Estes são alguns dos requisitos mínimos para um bom regente.

Um dos principais pontos em que devemos focar no maestro é com certeza a articulação com os braços, contando que ele pode dar uns ”toques” ao musico com o próprio olhar.

Logo de inicio vemos a postura do maestro virada quase que totalmente para os músicos que estão tocando no momento, demonstra uma interação especial com o “naipe”, isso fica claro nesta obra pelo fato de que o silencio (pausa) está para os outros instrumentos, entretanto existem outros casos em que toda a orquestra está em atividade e mesmo assim o maestro se vira para apenas alguns músicos.
Em desenvolvimento percebemos uma parte critica que esta por volta do 1min e 45s e os 2mins 45s do vídeo. A expressão do maestro neste momento fica visível, do piano que se caracteriza por movimentos pequenos e precisos até o fortíssimo que exige gestos grandes mais não rápidos. Neste ponto a orquestra demonstra um equilíbrio perfeito sobre o som.

Outra questão muito importante é a atenção que o musico deve de ter sobre a regência, é ela que manda em tudo, se todos a seguirem, nunca haverá um erro. Vemos isso nos 4mins e 28s em que o flautista (posicionado a esquerda) não tira os olhos em momento algum da regência, principalmente por estar em silencio.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: