Princípios gerais das funções executivas

 por                          Juliana F. Cecato

Fernando Pessoto

Daniel Bartholomeu

José M. Montiel

Funções executivas são processos cognitivos que permite ao indivíduo interagir com o seu meio externo de maneira intencional, envolvendo a formulação de planos de ação que se baseia em experiências prévias e nos estímulos presentes. Estas ações devem ser adaptativas e seqüenciadas por etapas (GAZZANIGA, 2002), ou seja, refere-se à capacidade do sujeito de engajar-se em comportamento orientado a objetivos, realizando ações voluntárias, independentes, autoorganizadas e direcionadas a metas específicas (Capovilla, 2006; Gil, 2002). Sinteticamente, qualquer comportamento emitido por um indivíduo necessita deste processo. Berberian (2007) enfatiza que  em todas as situações do cotidiano, seja comportamentos mais simples até os mais complexos, o indivíduo precisa planejar ações e desenvolver estratégias cabíveis a fim de alcançar seus objetivos, devendo ter a habilidade de responder adequadamente aos estímulos externos e também de identificar o momento adequado para tal, sendo ainda esta elaboração dependente da história de vida do indivíduo.

Os componentes das funções executivas correspondem a memória de trabalho, atenção seletiva, controle inibitório, flexibilidade e planejamento (DUNCAN et al, 1997). A memória pode ser compreendida como o reservatório onde é armazenado tudo que é aprendido ou experienciado. Dalgalarondo (2008) subdividi-a em memória de trabalho, memória episódica, memória semântica e memória de procedimentos. Em outro componente das funções executivas destaca-se a atenção Seletiva, compreendida como a percepção direcionada e seletiva a uma fonte partícula de informação, incluindo um aspecto semiquantitativo e com duração definida. De maneira generalista a atenção é um conjunto de processos psicológicos que faz com que o indivíduo seja capaz de selecionar, filtrar e organizar informações em unidades controláveis, as quais são importantes para a seleção de materiais disponíveis diante de um montante de informações (Montiel e Seabra, 2005).

Como terceiro fator e não menos importante das funções executivas está o controle inibitório, que segundo Assef et al (2007), pode ser definido como a habilidade do indivíduo de “inibir respostas competitivas”, ou seja, habilidade de controlar os comportamentos, iniciar e até mesmo pará-lo.  O quarto componente da funções executivas denominado Flexibilidade é segundo Lezak et al (2006) a habilidade que visa estabelecer uma nova estratégia de ação é denominada flexibilidade cognitiva, caracterizada pela capacidade de escolha e alternância de respostas mais condizentes às contingências; ou seja, determina quais informações ou ações são mais importantes e úteis que outras. Se entende pela capacidade de adaptar-se á condições adversas, resolver problemas e adequar-se a determinadas situações. O Planejamento é determinado pelo objetivo traçado por um indivíduo, ou seja, para alcançá-lo, é necessário primeiramente que haja planejamento. Neste sentido pode-se defini-lo como a capacidade de organização e previsão da pessoa a fim de agir para atingir um objetivo.

A discriminação dos conceitos das funções executivas auxiliam os profissionais da saúde a melhor identificação em quadros de déficits cognitivos e possíveis desenvolvimentos de estratégias terapeutas para cada caso.

Clarice Falcão, romance de linhas tortas

por Laís Semis

Clarice Falcão compõe sobre exageros românticos

Clarice Falcão compõe sobre exageros românticos

Atriz, roteirista e cantora. Um som entre Mallu Magalhães e Soko, Clarice Falcão esbanja doçura por linhas tortas. Numa voz de menininha, dramatizando amores trágicos (“quando eu te vi fechar a porta, eu pensei em me atirar pela janela do oitavo andar, onde a Dona Maria mora, porque ela me adora e eu sempre posso entrar”), brincando nas letras e se atirando em histórias, cantando uma narrativa de uma menina meio desesperada em suas relações amorosas de homens que fogem dela e do seu comportamento obsessivo (“ei, se eu contar como é que eu me senti ao grampear seu celular, você vai numa DP?”).

O cenário é mais ou menos o mesmo: ela, seu vestido, um violão (às vezes trocado por um cavaquinho) e uma receita de amor distorcida, um coração meio partido que não se permite enxergar a realidade que a cerca.

Filha dos roteiristas João e Adriana Falcão, o mundo artístico, que sempre esteve presente, tomou forma muito cedo pelas suas mãos e aos 12 já tinha escrito uma peça de teatro. Em “Lisbela e o Prisioneiro”, Clarice Falcão cantou sua primeira música, aos 13 anos.

Hoje, aos 22, ela se formou na faculdade de cinema, atuou em algumas novelas, produziu alguns curtas e segue em trilhas sonoras, com letras fáceis, divertidas e escolhas inusitadas acompanhada na maioria das vezes apenas do violão. O sucesso se dá bastante pela internet, ela ganhou o prêmio de melhor curta no concurso internacional Project Direct, do YouTube, e apesar de já ter atuado em novelas, é “Monomania” (a música) que vem ganhando seu espaço na TV (como trilha sonora de um episódio de “As Brasileiras” e em canais de clipes) e fez de Clarice Galvão uma das “Apostas MTV” deste ano.

Apontamentos sobre a relação entre habilidades sociais e aprendizagem

 por                       Juliana F. Cecato

Daniel Bartholomeu

José M. Montiel

As Habilidades Sociais referem-se ao conjunto dos comportamentos apresentados pelo indivíduo diante das demandas de uma situação interpessoal, incluindo-se as variáveis culturais que contribuem para a competência social (Del Prette & Del Prette, 1999). Pode dizer que um indivíduo socialmente competente é capaz de executar tarefas satisfatoriamente adequadas. Neste sentidos, uma pessoa incompetente socialmente tenha algumas necessárias para executar uma tarefa de forma competente. Em relação ao desenvolvimento das habilidades sociais, não se pode afirmar em que época da vida ocorre o aprendizado, embora a infância seja um período bastante significativo para tal desenvolvimento

Estudos apontam que no primeiro ano de escola as motivações para o trabalho começam a aparecer e as crianças passam a escolher os companheiros porque lê bem, ajuda quando ele não sabe ou não escolhe outros colegas por não escrever bem, por exemplo. Isso implica que o nível de alfabetização pode estar relacionado à aceitação do grupo. Em consonância com este apontamento o papel das relações sociais na compreensão do fracasso escolar merecem destaque ao se dar importância aos aspectos como a personalidade, emoção, bem como o envolvimento social do indivíduo para se ampliar a compreensão das dificuldades de aprendizagem, não se tomando a questão somente do aspecto cognitivo.

Em síntese pode-se apontar que não se deve somente demonstrar uma lacuna entre o potencial da criança para aprender e seu desempenho real em áreas escolares específicas, mas considerar as oportunidades para a aprendizagem. Neste contexto, há que se considerar que, avaliar as dificuldades de aprendizagem em decorrência da multiplicidade de aspectos envolvidos que demande um melhor domínio dos pressupostos da modificação cognitiva, considerando esses, como parte integrante do indivíduo.

Entre raízes e o mundo hype

por Laís Semis

Os Followil em 2003, quando lançaram seu primeiro disco

Os Followil em 2003, quando lançaram seu primeiro disco

Nashville é por si só uma desses estereotipadas cidades do sul dos Estados Unidos em que a música country domina. Capital do Tenesse, por ser um centro importante da indústria fonográfica ela é conhecida como cidade da música. Perpetuando a adoração e produção do blues e do jazz, Nashville é também a cidade que revelou Elvis Presley. Sem conseguir fugir muito desse estereótipo, os três irmãos Caleb, Jerad, Nathan e um de seus primos, Matthew Followil emplacaram seu primeiro sucesso na MTV ainda levando muito de uma essência familiar, de uma educação rígida e religiosa e pitadas country.

A primeira banda que integraram havia sido a da Igreja. Mas em 2000, os quatro se reuniram para formar o Kings Of Leon, que depois anos mais tarde lançaria seu primeiro EP e em 2003 o primogênito disco, “Youth and Young Manhood”, que trazia três faixas do EP; (a queridinha) “Molly’s Chambers”, “Wasted Time” e “Holy Roller Novocaine”.

Com um visual que os diferenciava das outras bandas que hyparam na década passada, os quatro Followil conquistaram crítica e público; rostos novos, cabelos longos com franja, bigodes fora de moda, jeans boca de sino e botas compunham um visual característico que foi se perdendo e se transformando em algo mais pop, criando em cima dessa imagem um sex symbol. Embora o figurino tenha se afastando das raízes, o som, mesmo que em alguns momentos tenha caminhado mais para o rock, nunca abandonou a pegada country de lá trás.

Com cinco álbuns na bagagem, uma passagem pelo Brasil, o Kings Of Leon – que tinha feito uma pausa na turnê do último disco em virtude do problema do vocalista com álcool – diz ter material para preparar seu retorno na perspectiva de um sucessor para “Come Around Sundown”, de 2010.

[FOTO 2:

Os Kings Of Leon atualmente

Os Kings Of Leon atualmente

Alimentação na Melhor Idade

 por           Cristiane Machado Godoy

Juliana F. Cecato

José M. Montiel

Daniel Bartholomeu

Alimentação é um tema que interessa a cada dia mais pessoas, pois além de ser a base da saúde, em algumas fases da vida adquire características especiais, uma delas é na infância e a outra é na terceira idade. Com o avançar da idade a composição corporal varia, há diminuição de massa muscular e aumento de tecido gorduroso. Por outro lado, a perda de massa óssea dá lugar à aparição de osteoporose e consequentemente um aumento no risco de fraturas, dificultando a mobilidade e comprometendo a qualidade de vida do idoso. Nesta fase, também é comum o aparecimento de doenças crônicas como diabetes e hipertensão, sendo caracterizado por um período onde se deve dar mais atenção à alimentação.

Outro fator importante é o cuidado com a boca, em especial com a perda de dentes e a substituição destes. A dificuldade na mastigação, aliada a diminuição do apetite por gastarem menos energia, acabam fazendo com que o idoso elimine alimentos de difícil mastigação promovendo então carências nutricionais. O gosto, o olfato e a visão podem estar debilitados dificultando o consumo e o  preparo dos alimentos,o que pode levar ao estado de desnutrição. De um modo geral, alguns cuidados com a alimentação podem gerar muitos benefícios ao idoso e, principalmente uma boa qualidade de vida, são esses:

– A alimentação deve ser variada e rica em fibras. As hortaliças, legumes, frutas e pães integrais, além de melhorar o funcionamento intestinal, ajudam a controlar peso, níveis de glicose e colesterol sanguíneos. Preferir hortaliças fortemente coloridas: verde-escuro, amarelo ou alaranjado, são fontes de vit. A, C e ác fólico. Consumir frutas com casca e bagaço sempre que possível.

– Promover o consumo de ovos, pois eles são uma fonte de proteína de alto valor biológico, fácil preparação e degustação, salvo se os níveis de colesterol estiverem altos. Os peixes são também uma ótima fonte de proteína, absolutamente necessária para uma boa regeneração celular. Alguns deles como a sardinha, o atum e o salmão oferecerem ácidos graxos ômega 3 que comprovadamente ajudam a diminuir o colesterol “ruim” (LDL) e aumentar o colesterol “bom” (HDL), o que protege o coração.

Consumir grãos como feijão, lentilha, grão de bico também fornecem proteína, assim como amendoim, nozes e castanhas.

– Em uma dieta equilibrada não deve faltar o consumo de leite e derivados magros, pois fornecem o cálcio, magnésio e vitamina D necessários para uma correta mineralização óssea, evitando assim o desenvolvimento de osteoporose. Banhos de sol em horários adequados também ajudam a fixar o cálcio nos ossos.

– O consumo de alimentos ricos em gorduras saturadas deve ser evitado, como de carnes gordas, frios, embutidos, queijos gordos, produtos industrializados e frituras. O azeite de oliva é saudável, mas a quantidade não deve ultrapassar a 2 colheres de sopa ao dia.

É prudente salientar que o consumo de açúcar e sal deve ser moderado. Eles estão presentes em grande quantidade nos alimentos industrializados como bolos, bolachas, enlatados e em conserva. Dar preferência aos produtos elaborados com cereais integrais como pães e torradas é fundamental, tendem a ocasionar problemas significativos tais como:

– A desidratação é frequente nos idosos, portanto deve-se estimular o consumo de 1,5 a 2 litros de líquido ao dia como água, chás, sucos e sopas.

– O consumo de alimentos frescos deve ser priorizado, pois garante a oferta de micronutrientes como vitaminas e sais minerais, evitando carências nutricionais.

– É importante que a alimentação diária seja dividida em 5 a 6 pequenas refeições, pois além de ajudarem o sistema digestório, oferecem oportunidade de variar a alimentação.

– Atividade física diária moderada é uma excelente recomendação, porque ajuda a manter o peso ou diminuí-lo caso seja necessário e também ajuda a manter a massa óssea.

Sabotage

por Laís Semis

Fundado em 1979 em Nova York, os Beastie Boys revolucionaram ao unir o rap ao hardcore. Arriscando num estilo originado da Jamaica e que se popularizou entre as classes mais baixas norte-americanas, os garotos judeus brancos MCA (Adam Yauch), Mike D (Michael Diamond) e Ad-Rock (Adam Horovitz), apesar de suas diferenças, com letras escrachadas e estilo malandro, conseguiram ganhar as ruas e serem respeitados tanto dentro do hip hop, quanto de outros estilos, perdurando além de sua década.

Beastie Boys

Beastie Boys

O álbum “Licensed to Ill”, de 1986, foi o primeiro disco de rap a alcançar o lugar de número um nas paradas, vendendo 720 mil cópias em seis semanas. Depois disso, os discos seguintes só consolidaram os Beastie Boys em um lugar em que ninguém mais os poderia tirar por suas conquistas e inovações dentro da música.

MCA, morreu em Maio de 2012, vítima de câncer aos 47 anos. Para homenagear o músico, o clássico vídeo do sucesso “Sabotage” (1994) ganhou interpretação infantil. Embora hoje “Sabotage” seja um dos clips mais famosos, sendo que a audição da música remete automaticamente a sequência de perseguição policial, no ano em que foi lançado acabou perdendo a premiação dos melhores do ano para “Cryin’” (Aerosmith) e “Everybody Cries” (R.E.M.).

A discografia conta com oito álbuns de estúdio, sendo que o último, “Hot sauce committee pt. 2”, foi lançado no ano passado. Os Beastie Boys ainda não declararam se pretendem continuar com a banda sem MCA, mas o fato é que um trio tão característico não poderia ser tão facilmente substituível.

Aeronautas: considerações sobre o trabalho na aviação

por                   José M. Montiel

Juliana F. Cecato

Daniel Bartholomeu

Aeronauta é o profissional habilitado pelo Ministério da Aeronáutica, que exerce atividade a bordo de aeronave civil nacional, mediante contrato de trabalho regido pela legislação trabalhista, conforme a lei 7183/84 (Sindicato Nacional dos Aeronautas, 2005). São vários os fatores estressantes que os aeronautas encontram em sua profissão, os quais obrigam seu organismo a lançar mão de mecanismos de defesa e de compensação. Alguns desses fatores podem ser: alimentação irregular, mudanças climáticas, baixa umidade do ar, ruídos e vibrações da aeronave, cruzamento de vários fusos horários, incorreta gestão do sono, entre outros.

Os fatores estressantes podem acarretar sintomas clínicos como dor de cabeça, falta de apetite, esquecimento, astenia (diminuição de força física), diarréia ou constipação, palpitações, irritabilidade, baixa capacidade de concentração, insônia, dor no peito, tiques faciais, perturbações visuais e auditivas, emagrecimento, redução da atividade sexual, tremores, agressividade, sarcasmo, uso imoderado de fumo e álcool. A condição pode ainda degenerar para quadros neuróticos como fobias, ansiedade, depressão, obsessão, compulsão, além da dependência de drogas.

Neste sentido os aeronautas são obrigados a adaptar seu organismo aos horários de trabalho e ter horas de sono forçadas, independentemente da hora do dia, a realizar refeições irregularmente, por vezes substituídas por um lanche, também nem sempre em condições confortáveis. Parece haver uma incompatibilidade entre o funcionamento do organismo com a organização e gestão desse trabalho. Os aeronautas vivem o risco como conteúdo do trabalho. A vivência do risco não se efetiva somente no momento do acidente. Ela está no momento da possibilidade dessa ocorrência, em situações de incidente, mas sobretudo no conteúdo cotidiano com esse trabalho diante da alta potencialidade de risco dos sistemas automatizados e nas condições que trabalham. Vive a possibilidade e a potencialidade entre medo e angústia, podendo produzir quadros de depressão. Casos de depressão tem sido notados na aviação internacional. O objetivo do estudo com esse público é minimizar os efeitos ambientais adversos que os aeronautas sofrem e propor maneiras que diminuam o estresse do seu trabalho.