E a senha de hoje é…

por Laís Semis

Abujamra

“O mundo de dentro da gente é maior que o mundo de fora da gente, o Universo de dentro da gente é o espaço sideral”, já diria André Abujamra em “Imaginação”. E haja imaginação pra lidar com um público tão diferente e com tanta fome de imagem, cores e formas. Há quem se dedique à isso, mas é preciso aflorar um espírito peculiar pra se permitir partir pra um universo anterior ou para entrar no Castelo.

Sílabas puxadas entre onomatopeias vão construindo uma ideia. Repetições que ritmam as mãos a serem lavadas (se não se perderem no batuque do “lava uma [mão], lava outra, lava uma). E por trás dessas músicas que muito além das histórias que ilustravam mexeram com o imaginário de crianças e das nem tão crianças também estão artistas como Roger (Ultraje a Rigor), Abujamra, Arnaldo Antunes e Hélio Ziskind.

Das que compunham a trilha sonora do programa infantil Castelo Rá-Tim-Bum, não se pode esquecer da música de abertura (Uuumm, Cassss, Bum, bum, bum, Cass… telo!), com a planta do Castelo Rá-Tim- Bum tomando vida em sua construção mágica ao redor de uma árvore e sincronizada com os comandos sonoros dos vocais, além de “Ratinho Tomando Banho”, “Lavar as Mãos”, os “Como se Faz…?” e “Que Som É Este?”.

Pra quem compartilhou das tardes e aventuras de 94 a 97 sintonizado na TV Cultura (e se deixou levar pelas reprises nos anos seguintes de novo ou por uma primeira vez), percorrendo os espaços encantados do Castelo na companhia de Nino (que tinha o quarto mais invejado do Brasil), Pedro, Biba e Zequinha, sempre fugindo dos disfarçados contratos imobiliários do ambicioso Dr. Abobrinha, vale relembrar das criações educativas, inteligentes, atrativas e simples: muita gente talentosa reunida na proposta do inesquecível Castelo Rá-Tim-Bum.  Personagens marcantes e de todos os gêneros: fadas que moram no lustre, jornalista de rosa, ETs, passarinhos, botas que falam, entregadores de pizza, um “Telekid” (Marcelo Tas), caipora, cobras, gatos bibliotecários, ratos, monstros “maus”, bruxos e um menino grande (três séculos de vida) e seus amigos normais que o vinha visitar diariamente recebidos pelo porteiro de lata.

Castelo Rá-Tim-Bum

Castelo Rá-Tim-Bum

E Plift Ploft Still, a porta se abriu!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: