Baixos custos e maior oferta: uma nova filosofia de trabalho

por Eduardo Godoi

Prezados Leitores

Um dos graves problemas que sempre obstaram o crescimento e o desenvolvimento do Taekwon-Do Tradicional no Brasil é o alto custo de seus cursos de reciclagem e treinamento e a baixa frequência com que são ofertados. Com apenas um ou dois grandes eventos por ano, a possibilidade de os praticantes manterem-se atualizados, realizarem intercâmbios e criarem uma “network” torna-se muito dificultada.

Tentando implantar uma nova filosofia de trabalho, a Organização Brasileira de Taekwon-Do ITF (OBTI), inaugurou, no dia 23 de fevereiro de 2013, um ciclo de pequenos Seminários, com poucas horas de duração, com custos muito baixos e com uma frequência mensal.

Organização Brasileira de Taekwon-Do ITF - OBTI

Organização Brasileira de Taekwon-Do ITF – OBTI

Abordando alguns tópicos do currículo padrão da OBTI, o Sabum Nim Marcos Sanchez (6o. Dan e Presidente da OBTI), auxiliado pelo Sabum Nim Eduardo Godoi (4o. Dan e Vice-Presidente da OBTI) puderam apresentar a um publico mais amplo – que antes não tinha acesso a este tipo de evento devido ao alto custo das taxas de inscrição comumente cobradas – as especificidades de cada técnica e elucidar as muitas dúvidas dos alunos. A frequência mensal destes Seminários permite aos praticantes reforçarem os conceitos que lhes foram apresentados nos encontros anteriores, oferece a possibilidade de novas correções e um maior amadurecimento dos estudantes, tanto do ponto de vista técnico quanto marcial.

À direita, o Sabum Nim Marcos Sanchez (6o. Dan e Presidente da OBTI) ao lado do Sabum Nim Eduardo Godoi (4o. Dan e Vice-Presidente da OBTI), durante o Seminário Técnico realizado no dia 23 de fevereiro de 2013, em Jaguariúna-SP.

À direita, o Sabum Nim Marcos Sanchez (6o. Dan e Presidente da OBTI) ao lado do Sabum Nim Eduardo Godoi (4o. Dan e Vice-Presidente da OBTI), durante o Seminário Técnico realizado no dia 23 de fevereiro de 2013, em Jaguariúna-SP.

O próximo desafio é a criação de competições com o mesmo espírito: diminuir os custos, aumentar a oferta de eventos, permitindo o acesso a um público mais amplo. Este é um dos caminhos possíveis para a popularização do Taekwon-Do Tradicional no Brasil, historicamente tão elitizado.

Sabum Nim Eduardo Godoi demonstrando uma técnica durante o Seminário realizado em Jaguriúna (23 de fevereiro de 2013).

Sabum Nim Eduardo Godoi demonstrando uma técnica durante o Seminário realizado em Jaguriúna (23 de fevereiro de 2013).

Cabe destacar que estes novos modelos para cursos e torneios não excluem a necessidade dos grandes eventos, essenciais para a reciclagem de praticantes já experientes, em particular, os Faixas-Pretas: são, na verdade, um complemento importante para um aumento da qualidade técnica de estudantes que não têm a oportunidade de participar de cursos e competições mais caros.

Bons dias !!!

Sabum Nim Eduardo Godoi (4o. Dan)

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do Brasil
Rua Armando Steck, 408 – sala 3 – Centro – Louveira – SP – CEP 13.290-000
Anúncios

Tecnobrega indie?

Por Laís Semis

O mundo indie não deixou passar batido a nova música dos Strokes nas últimas duas semanas. Até porque quem ouviu “One Way Trigger” não conseguiu segurar as emoções. Pra quem espera desde 2011 por uma novidade dos meninos, levou um susto.

Todo mundo se perguntou que batida era aquela, o que tinha acontecido com a voz de Julian Casablancas e por quê, Deus? A música rodou pela internet não pela empolgação dos fãs em replicar prontamente a primeira música liberada do próximo álbum da queridinha indie, mas quase se como se a mensagem fosse “você só vai acreditar nisso se você mesmo ouvir”.

Há quem teve que repetir a audição pra se convencer de que era real. Apesar do estranhamento geral, dizer que “One Way Trigger” é ruim não seria de toda verdade e nem se trata de discutir o tecnobrega. Aos que ficaram tão impressionados que nem se quer conseguiram prestar atenção na letra, ela trata de uma partida incompreendida, em que se pede pra ficar, mas em que existem muitos motivos considerados por ele para ir embora. E num conflito de querer estar com ela num próximo momento ou não, ele decide partir enquanto ela está dormindo mesmo sabendo que não é certo, mas que não seria este o jeito mais difícil. E no meio da história, a música começa a se tornar mais comum aos nossos ouvidos, um pouco pelo costume e outro tanto por Julian abandonar o falsete e a guitarra se sobressair.

Confira a letra de One Way Trigger clicando na imagem

Confira a letra de One Way Trigger clicando na imagem

É cedo demais para os fãs ficarem desapontados. Se é sério ou não, só vamos descobrir em “Comedown Machine”, o álbum que a banda acabou de anunciar. Não dá pra saber o que virá a seguir, até mesmo porque a banda não se pronunciou sobre o assunto. Mesmo que seja uma brincadeira que os Strokes decidiram fazer para criar uma atmosfera curiosa e colocar os holofotes na mira de seu lançamento,

Embora o álbum só chegue no final de Março, sua pré-venda (da versão em CD e LP) já acontece através do site http://www.myplaydirect.com/the-strokes/features/27992641. O primeiro single oficial, “All The Time” estará disponível no dia 19 de fevereiro (ou, com sorte, alguns poucos dias antes dessa data nas rádios, segundo a nota oficial da banda).

Novo álbum dos Strokes deve chegar dia 26 de março

Novo álbum dos Strokes deve chegar dia 26 de março

Mas a grande dúvida que paira sobre os fãs e o mundo indie é que raios pode se esperar de “Comedown Machine”?  Até lá, muitos se assombrarão com a possibilidade do tecnobrega ter conquistado o ícone indie rock da década passada.

Se o The Vaccines ou o Hower são os novos Strokes, então o novo Strokes deve ser o novo Uó ou a próxima Gaby Amarantos. Pareceria um absurdo dizer isso uns dias atrás, mas hoje caberia (cabe?). Apesar de que mesmo falando em The Vaccines e Hower, estamos em 2013 ainda considerando o The Strokes (banda que lançou seu primeiro disco em 2001) como a última super banda modelo.

Mas difícil mesmo vai ser conseguir digerir aquele falsete de Julian se ele se repetir durante outras faixas do disco.