Por um Taekwon-Do sem fronteiras dentro do nosso país

por Eduardo Godoi

Prezados Leitores

O Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do é bastante conhecido como Taekwon-Do ITF: o fato de o seu principal desenvolvedor (com o auxílio de Mestres Pioneiros cujos nomes não são comumente citados nos “manuais e apostilas”), o General Choi, Hong Hi, ter fundado e presidido a primeira International Taekwon-Do Federeation (ITF), de 1966 atá o seu falecimento, em 2002, associou fortemente o nome e a sigla de um órgão gestor ao nome da Arte Marcial, chegando mesmo a substituir o epíteto original que acompanharia o nome Taekwon-Do: “Ch’ang Hon Ryu” (Taekwon-Do estilo Ch’ang Hon).

Hoje, usa-se o nome de um órgão gestor como se ele denominasse o conteúdo técnico da Arte Marcial ensinada. É como se, após a chamada “Revolução Científica do Século XVII”, a “Física Newtoniana” ficasse conhecida como “Física da Royal Society” pelo fato de Isaac Newton ter fundado e presidido a Academia Real de Ciências do Império Britânico.

3a. Edição da grande obra de Isaac Newton, já então publicada pela Royal Society (1727)

3a. Edição da grande obra de Isaac Newton, já então publicada pela Royal Society (1727)

Este mesmo “estilo de Física” é praticado no mundo inteiro em diversas instituições de ensino ligadas a diferentes órgãos gestores (Secretarias e Ministérios de Educação, por exemplo) e não há um comando centralizado numa única “federação” mundial. Imaginem se os “legítimos” newtonianos exigissem que a Royal Society controlasse o ensino de Física no mundo inteiro… A qualidade do conteúdo da “Mecânica Clássica” aprendido pelos alunos nas escolas e universidades não depende do controle de um único órgão gestor, de uma única “federação” e o fato de termos diversos órgãos gestores – a nível nacional e mundial – favorece, através dos espaços de intercâmbio e de competição saudável, o desenvolvimento contínuo desta disciplina.

Logotipo da "International Taekwon-Do Federation - ITF" utilizado por, pelo menos, três organizações com alcance mundial.

Logotipo da “International Taekwon-Do Federation – ITF” utilizado por, pelo menos, três organizações com alcance mundial.

Antes mesmo da morte do General Choi, já tínhamos, a nível mundial, algumas federações “disputando o mercado” para o ensino do Taekwon-Do Tradicional e, após o falecimento do Fundador da primeira ITF, o número de entidades internacionais aumentou significativamente (no artigo intitulado “O Taekwon-Do e suas federações“, o Leitor encontrará uma lista bastante abrangente de links para os sites de várias entidades internacionais). Se isto não comprometeu comprovadamente a qualidade do ensino da Arte Marcial, afetou, no entanto, algumas pretensões financeiras e de poder por parte de alguns que se consideram os “únicos e legítimos herdeiros” da obra desenvolvida, inicialmente, sob a liderança do General Choi.

O inferno são os outros…

Uma postura bastante comum em muitos líderes das principais organizações é, primeiramente, “negar a existência do outro” e, quando, com uma importante contribuição da internet, não dá mais para esconder dos próprios alunos que “inimigo mora ao lado“, nega-se lhe qualquer qualquer atributo de qualidade técnica, didática e gerencial.  Muitos gestores gastam um  tempo significativo falando mal dos seus concorrentes. Se os esforços para denegrir os concorrentes fossem concentrados na busca de métodos inovadores de gestão e de prática docente, as suas organizações alcançariam um desempenho muito melhor do que se, eventualmente, conseguissem  até mesmo “eliminar a concorrência”.

A concorrência é saudável, favorece a inovação e diminui a tendência a ficarmos acomodados, agarrados a modelos de gestão que, se alcançaram sucesso (???) no passado, já não servem para as demandas e desafios que o mercado nos coloca neste início de século XXI.

Diálogo, intercâmbio e competição…

Muitas vezes eu escutei colegas Faixas-Pretas lamentando um suposto “paraíso perdido”: – Ah, como era bom o tempo em que havia uma única ITF…

Era bom mesmo ? Não haviam os vários descontamentos abafados pela autoridade do General Choi e por seus representantes nacionais ? O Taekwon-Do Tradicional era amplamente conhecido e praticado no Brasil ? A maioria dos Instrutores podiam se dedicar exclusivamente ao Taekwon-Do e viver confortavelmente, com qualidade de vida digna e sem depender de outras fontes de renda ? Não haviam Faixas-Pretas defasados em suas graduações, que já mereciam estar bem mais avançados em suas carreiras ? Existiu, mesmo, esta “era dourada do Taekwon-Do ITF” no Brasil ?

Certamente, as dificuldades enfrentadas pelos praticantes desta Arte Marcial, no Brasil, não aumentaram com o surgimento de novas organizações gerenciando o Taekwon-Do Tradicional. Ao contrário, um primeiro benefício desta diversificação foi a distribuição, em diferentes entidades nacionais, de praticantes que, devido às mais diversas e justificadas disputas com seus pares, teriam, antes, que se afastar do Taekwon-Do ou se submeter a condições desfavoráveis aos seus desenvolvimentos como artistas marciais e como seres humanos.  Hoje, já existe uma possibilidade maior de encontrarmos uma entidade que se ajuste ao nosso “perfil profissional”.

Precisamos reconhecer e respeitar a existência do “outro”. Precisamos dialogar e aprender com o “outro”. Precisamos criar espaços para intercâmbios entre os praticantes ligados às várias organizações, realizando seminários técnicos, competições e mesmo encontros abertos àqueles que se encontram filiados às várias federações. O Brasil é um país continental e há espaço para todas as organizações crescerem e se desenvolverem em nosso país, todos podendo ganhar muito dinheiro com a prestação de serviços e venda de produtos ligados ao Taekwon-Do. Mas é preciso, também, ter muita coragem e muita competência para substituir, com inovação e qualidade, modelos de gestão ultrapassados e que nunca apresentaram resultados satisfatórios em nosso país.

Bons dias !!!

Sabum Nim Eduardo Godoi (4o. Dan)

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do Brasil
Rua Armando Steck, 408 – sala 3 – Centro – Louveira – SP – CEP 13.290-000

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: