Os números de 2011

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos da Ópera de Sydney tem uma capacidade de 2.700 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 27.000 vezes em 2011. Se fosse a sala de concertos, eram precisos 10 concertos egostados para sentar essas pessoas todas.

Clique aqui para ver o relatório completo

Anúncios

Taekwon-Do: separando o joio do trigo

por Eduardo Godoi

Prezados Leitores

O fato de se apresentar a um jovem, durante as aulas de história e já a partir do Ensino Fundamental, os crimes cometidos pelos Tribunais da “Santa” Inquisição, queimando pessoas e livros, não faz com que este jovem considere inválido todos os princípios éticos defendidos, hoje, pela Igreja Católica ou que despreze os bons atos de seus seguidores honestos. Da mesma forma, estudar e condenar o nazismo não torna um estudante antipático ao povo germânico nem diminui a sua admiração pelos exemplos de cidadania que colhemos da Alemanha, hoje. A importância de “passarmos à limpo” a história de uma instituição reside também na forte sugestão, para as gerações presentes e futuras, de que devemos evitar a todo custo cometer erros semelhantes aos cometidos no passado.

É por isto que, em artigos recentemente publicados neste blog e em uma série de outros textos que ainda pretendo trazer às telas, venho abordando os porões do Taekwon-Do ITF / Taekwondo WTF, seu passado sombrio envolvendo alguns líderes destas organizações em golpes de estado, atos de gangsterismo e corrupção, sequestros, torturas e assassinatos. Acredito fortemente que uma melhor compreensão do Taekwon-Do ITF / Taekwondo WTF como um fruto complexo da Guerra Fria contibuirá sobremaneira para o amadurecimento de suas instituições num momento histórico bem mais democrático do que aquele em que se desenvolveram os seus principais estilos. Particularmente, a descoberta de comportamentos bizarros de alguns Mestres e Instrutores através das pequisas históricas que venho realizando, não diminui nem um pouco a minha paixão pelo Ch’ang Hong Ryu Taekwon-Do.

Aos Mestres, com carinho

Quanto mais eu aprofundo os meus estudos sobre a história das Coréias e do Taekwon-Do ITF / Taekwondo WTF, mais eu valorizo os Mestres, Instrutores e Assistentes de Instrutor que conheci durante os anos em que estive filiado ao Taekwon-Do Harmonia e à Federação Brasileira de Taekwon-Do ITF. Participando de seus eventos e convivendo com seus Professores e Alunos, além de ter aprendido técnicas de combate de altíssima qualidade, pude testemunhar inúmeras vezes as verdadeiras posturas marciais baseadas nos princípios de nossa arte: Cortesia, Integridade, Perseverança, Autocontrole e Espírito Indomável.

Federação Brasileira de Taekwon-Do ITF

Taekwon-Do Harmonia

Se, hoje, caminho afastado destas instituições, é para tentar desenvolver modelos de gestão inovadores sem atrapalhar o funcionamento dos sistemas adotados presentemente e por necessitar de liberdade para publicar os resultados destas minhas leituras não ortodoxas.

Bons dias !!!

Boosabum Eduardo Godoi (3o. Dan)

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do Brasil
Academia Shaolin – Louveira – SP
Rua Armando Steck, 294 – sala 2 – Centro

Os números de 2010

por WordPress.com

Os duendes das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O Blog-Health-o-Meter™ indica: Uau.

Números apetitosos

Imagem de destaque

Um Boeing 747-400 transporta 416 passageiros. Este blog foi visitado cerca de 8,200 vezes em 2010. Ou seja, cerca de 20 747s cheios.

In 2010, there were 39 new posts, not bad for the first year! Fez upload de 57 imagens, ocupando um total de 4mb. Isso equivale a cerca de uma imagem por semana.

The busiest day of the year was 22 de dezembro with 377 views. The most popular post that day was A contradição dos garotos imaginários.

De onde vieram?

Os sites que mais tráfego lhe enviaram em 2010 foram mail.live.com, mail.yahoo.com, portal.folhanoticias.com.br, mirianamg.blogspot.com e mail.mailig.ig.com.br

Alguns visitantes vieram dos motores de busca, sobretudo por beatles, the cure, the strokes, green day e taekwon-do itf

Atracções em 2010

Estes são os artigos e páginas mais visitados em 2010.

1

A contradição dos garotos imaginários dezembro, 2010

2

Aulas de Taekwon-Do em Louveira agosto, 2010
1 comentário

3

Os autores deste blog setembro, 2010

4

Nossos temas preferidos setembro, 2010

5

Eduardo Godoi maio, 2010

Publish or perish

por Eduardo Godoi

Prezados Leitores

Para comemorar os quarenta anos do lançamento de CIEN AÑOS DE SOLEDAD, a Real Academia Española – juntamente com a Asociación De Academias De La Lengua Española – publicou, em 2007, uma cuidadosa edição da novela do escritor colombiano Gabriel García Márquez e que teve o texto revisado pelo próprio autor.

Capa da edição comemorativa de CIEN AÑOS DE SOLEDAD

Um dos ensaios que acompanham a obra inaugura seus parágrafos com a citação de uma frase retirada da autobiografia de Gabriel García Márquez, intitulada VIVIR PARA CONTARLA :

“La vida no es la que uno vivió, sino la que uno recuerda y cómo la recuerda para contarla.”

Para o ensaista Victor Garcia de La Concha, é significativo o fato desta autobiografia começar com a evocação de uma viagem a Arataca (uma pequena cidade situada no norte da Colômbia) empreendida por Gabriel García Márquez e sua mãe para vender a casa onde nascera e vivera, durante a sua infância, até a morte de seu avô. O choque entre as suas memórias de uma Arataca idealizada, paradisíaca e o povoado abandonado (“… no había un alma en las calles y los dos avanzaban com el sufrimiento creciente de ver cómo había pasado el tiempo por aquel entrañable lugar.”) marcariam para sempre o autor colombiano agraciado com o Prêmio Nobel de Literatura em 1982. Ao encontrarem, finalmente, uma senhora que costurava em uma pequena “botica”, sua mãe reconheceria a esposa do farmacêutico e ambas permaneceriam abraçadas, chorando continuamente e sem trocar palavras, durante um longo período. Acompanhando este gesto, o escritor conta ter ficado “estremecido por la centidumbre de que aquel largo abrazo de lágrimas calladas era algo irreparable que estaba ocurriendo para siempre em mi propia vida”.

Gabriel García Márquez teria repetido muitas vezes que, após ter presenciado este longo choro sem palavras, surgiu-lhe a idéia de contar por escrito “todo el pasado de aquel episodio”. Nasceria também ali o universo mágico de Macondo a ser retratado em CIEN AÑOS DE SOLEDAD, compreendidas através de uma epifania entre lágrimas as realidades distintas que a memória pode nos apresentar de um mesmo fato, de um mesmo lugar, das mesmas pessoas.

Macondo - oil on canvas- 38" X 42" - pintura de Victor Morgado

Ainda segundo o ensaio, Gabriel García Márquez já vinha desenvolvendo um romance baseado em suas memórias de infância e que se chamaria LA CASA. No entanto, a realidade encontrada em Arataca o faria perceber como falso aquilo que vinha escrevendo sob uma pauta realista: a partir daquele 1950, contando o autor vinte e três anos de idade, foram muitos os seus caminhos em busca do tom mais adequedo para contar “todo el pasado de aquel episodio”. Deste modo, o lançamento de CIEN AÑOS DE SOLEDAD ocorreria somente em 1967 e as palavras do autor, citadas por Victor Garcia de La Concha, nos inspiram a buscar a chave (a clave) para as nossas próprias composições.

“Tuve que vivir veinte años y escribir cuatro libros de apredizaje para descubrir que la solución estaba en los orígenes mismos del problema: había que contar el cuento, simplemente, como lo contaban los abuelos. Es decir en un tono impertérrito, con una serenidad a toda prueba que no se alteraba aunque se le estuviera cargando el mundo encima, y sin poner en duda en ningún momento lo que estaban contando, así fuera lo más frívolo o lo más truculento, como si hubieran sabido aquellos viejos que en literatura no hay nada más convincente que la propia convicción.”

Quanta poesia e quanta prosa perecem regularmente, vítimas de uns pudores literários que impedem a publicação de nossas memórias ? Precisamos recuperar esta nossa habilidade ancestral para contar estórias, tornando-as verossímeis a partir da nossa própia convicção e libertando-as o quanto for necessário da realidade dos fatos.

Bons dias !!!

Boosabum Eduardo Godoi (3o. Dan)

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do Brasil
Academia Shaolin – Louveira – SP
Rua Armando Steck, 294 – sala 2 – Centro

Paulicéia desvairada

por Eduardo Godoi

Prezados Leitores

Embora tenha recebido uma educação escolar de altíssimo nível, eu acredito que o voto de qualquer pessoa em qualquer lugar do Brasil é tão importante quanto o meu. Eu conheço inúmeras pessoas que não tiveram a mesma oportunidade que eu tive e que, no entanto, são extremamente sábias. Também conheço inúmeros bacharéis, engenheiros e doutores que constantemente tomam decisões equivocadas em suas vidas.

Estou envergonhado por ser paulista

Eu repudio o preconceito bastante cultivado por tantas pessoas que distinguem os eleitores entre os de “primeira classe” e os de “segunda classe”. Para mim, o sufrágio universal é um dos modos bastante eficientes para aferir as esperanças de uma nação. No entanto, aqueles que se consideram a “elite da cidadania” desejam uma democracia sem povo, sem o povo brasileiro por inteiro.

Conforme indiquei no artigo O INFERNO SÃO OS OUTROS, publicado  logo abaixo, o resultado das eleições para a Presidência da República não seria alterado mesmo que o nosso apartheid paulista lograsse excluir os votos de nortistas e nordestinos.

Um dos legados deste processo eleitoral foi dar visibilidade a alguns preconceitos fortemente arraigados na região Sudeste do nosso país.

O filme que lhes indico neste post  fala por si mesmo.

Dói muito, mas é importante assistí-lo.

Os autores destes crimes deixaram nome, sobrenome, IP, foto.

Bons dias !!!

Boosabum Eduardo Godoi (3o. Dan)

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do Brasil
Academia Shaolin – Louveira – SP
Rua Armando Steck, 294 – sala 2 – Centro

O inferno são os outros

por Eduardo Godoi

Prezados Leitores

Eu seria muito mais feliz se me coubesse a oportunidade de conhecer melhor as pessoas que me cercam, de saber quais são os seus sonhos. Eu gostaria muito de ler mensagens escritas por elas com as suas próprias palavras, cada um com o seu jeito próprio de conversar. Ao contrário, nestas eleições, eu recebi uma quantidade exagerada de mensagens do tipo spam, muitas com informações duvidosas, algumas até levianas. Eu poderia ter aprendido muito com todos que me escrevessem algo do tipo:

“Eu prefiro este programa de governo porque acredito nisso, nisso, naquilo… Eu não gosto daquele outro programa porque não concordo com isso, isso e aquilo… Para mim, o mundo deveria ser desse jeito… Eu leio o mundo através de tais lentes… Eu acredito que tal candidatura representa uma maior probabilidade de os meus sonhos se concretizarem…”

——————

Todos nós conhecemos bem as nossas famílias, os clubes para os quais torcemos, as igrejas que frequentamos, as empresas em que trabalhamos, os condomínios em que vivemos. Todos nós temos o nosso “lado negro”. Todas as instituições têm os seus “aloprados”. Todos os partidos políticos também os têm. Assim, considero bastante hipócrita um certo “puritanismo” que determina – parafraseando Sartre – que “o inferno sempre e somente são os outros”.

——————

O Sudeste elegeu Dilma

Ao contrário dos preconceitos arraigados em São Paulo, não foram o Norte e o Nordeste que elegeram a candidata petista. Se fossem excluídos todos os votos destas regiões, o vencedor da disputa ainda seria o mesmo. Foram os votos do Sudeste para Dilma que compensaram, com alguma sobra a seu favor, as suas derrotas no Sul e no Centro-Oeste do Brasil.

Confiram os dados do portal G1, da Rede Globo

(http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/noticia/2010/11/mesmo-sem-os-eleitores-do-norte-e-do-nordeste-dilma-venceria-serra.html):

fonte: G1 - o portal de notícias da Globo (www.g1.globo.com)

Uma análise mais apurada dos dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi realizada pelo economista Fernando Nogueira da Costa, que é Professor do Instituto de Economia da UNICAMP:

(http://fernandonogueiracosta.wordpress.com/2010/10/31/mapa-eleitoral-da-vitoria-de-dilma/)

“No Estado de maior colégio eleitoral, São Paulo, a diferença a favor do Serra foi de 1.846.036 votos; no segundo maior, Minas Gerais, a diferença a favor da Dilma (1.797.831) praticamente já compensou a votação na suposta base eleitoral do adversário. No Rio Grande do Sul, Dilma quase empatou, pois a diferença a favor do Serra foi de apenas 119.588 votos. Somada às diferenças serristas em Santa Catarina (473.909) e Paraná (633.130), a Região Sul toda somou apenas 1.226.627 votos a favor de Serra. A diferença a favor da Dilma no Estado do Rio (1.710.111 votos) já superou em cerca de ½ milhão de votos aquela soma.”

Bons dias !!!

Boosabum Eduardo Godoi (3o. Dan)

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do Brasil
Academia Shaolin – Louveira – SP
Rua Armando Steck, 294 – sala 2 – Centro

O mundo gira, a Lusitana roda

Por Eduardo Godoi

Prezados Leitores

O lançamento de DOGVILE, dirigido por Lars von Trier, em 2003, foi um grande marco para mim: além de um modo de conduzir o olhar do espectador que me era novo, de um cenário teatral com o chão de um galpão riscado para delimitar os diferentes ambientes em que se passa a estória, da crítica a uma religiosidade que justifica pequenas e grandes violências, o que mais me impressiona até hoje é a habilidade com que o filme capta a essência egoísta do homo sapiens.

Há muito adotei uma visão pessimista, com relação às possibilidades de atos desinteressados serem cometidos por mim e por meus pares. Lembro-me sempre do segundo capítulo do livro MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS (Machado de Assis, 1881), em que o seu personagem principal, Brás Cubas, conta-nos a sua idéia de criar um

“…medicamento sublime, um emplasto anti-hipocondríaco, destinado a aliviar a nossa melancólica humanidade.”

Embora, em princípio, uma tal invenção pudesse apontar para um lado bondoso e desprendido do caráter de nossa personagem,  seguindo mais algumas linhas do texto encontramos revelada a essência de suas intenções:

“Assim, a minha idéia trazia duas faces, como as medalhas, uma virada para o público, outra para mim. De um lado, filantropia e lucro; de outro lado, sede de nomeada. Digamos: – amor da glória.”

Por que Manderlay não me impressionou ?

Eu aguardei com grandes espectativas o lançamento, em 2005, do filme MANDERLAY (continuação de DOGVILLE e dirigido novamente por Lars von Trier). Embora não contasse mais com a atriz Nicole Kidman no papel principal, a personagem Grace foi muito bem interpretada pela  atriz Bryce Dallas Howard e a força desta sequência reside numa abordagem dialética da questão racial nos Estados Unidos da América e que foge das facilidades de um olhar politicamente correto e piegas. No entanto, por que este filme, cuidado por mim como uma obra-prima, não me impressionou o tanto quanto DOGVILLE ?

Coerentemente, a linguagem cinematográfica adotada em MANDERLAY é a mesma da obra anterior e as estratégias narrativas que tanto me surpreenderam no filme de 2003, desta vez, perderam a força da novidade: por mais que eu destacasse (racionalmente) a qualidade da obra, sentia, após o término da projeção, aquele gosto incômodo de “mais do mesmo”.

Sou apixonado pela Lidi.

Dois pesos e duas medidas

Nunca li um texto reclamando de Claude Monet, após ter desenvolvido um novo jeito de pintar, repetir o estilo de suas pinceladas em vários quadros. Nós, leigos em pintura, ficamos até animados e nos sentimos mais “cultos” ao reconhecermos a sua autoria em uma tela (ou reprodução de uma tela) que contemplamos pela primeira vez. O “mais do mesmo” nos permite, então, um gostoso júbilo e nos sentimos um pouquinho mais próximos de uma fraternidade artística usualmente restrita a especialistas.

Uma obra característica de Claude Monet

Mais do mesmo Claude Monet

Eu também poderia ter usado como exemplo o escultor Auguste Rodin ou vários outros nomes. Alguém, em sã consciência esperou de Frank Sinatra uma revolução a cada novo álbum lançado ? Ou que Glen Miller se “reinventasse” a cada nova gravação com a sua big band ? No entanto, todos valorizamos as diferentes fases de uma banda de rock como o U2 (leio, em muita crítica especializada, o uso da expressão “camaleônico” e não sei se o objetivo é realmente informar ao leitor que a banda somente apresentou “novas cores” por um instinto de sobrevivência ou se o termo – rigorosamente mal empregado –  procura denotar a grande  habilidade da banda para expandir as fronteiras musicais do rock).

Prezado Leitor, depois de seus esforços para adentrar no universo de um José Saramago e não se sentir perdido com a sua pontuação, com o seus diálogos, com o seu ritmo, podendo contar vantagem para os amigos de que você lê e compreende uma obra tão complexa e rica, você esperaria que o escritor mudasse a sua linguagem narrativa ?

Por outro lado, um novo álbum da banda Oasis, mesmo que repitisse com muita qualidade a “fórmula” consagrada em (What´s the Story) Morning Glory, de 1995, soaria cansativo. Apenas “mais do mesmo”.

Bons dias !!!

Boosabum Eduardo Godoi (3o. Dan)

Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do Brasil
Academia Shaolin – Louveira – SP
Rua Armando Steck, 294 – sala 2 – Centro